Nem todo mundo é capaz de construir um sistema de energia solar em sua propriedade. É aí que entra a comunidade solar.

Um sistema solar comunitário (geralmente chamado de condomínio solar ou geração compartilhada) descreve um sistema solar central que fornece eletricidade a vários membros de uma comunidade local. Esses sistemas atendem complexos de apartamentos, shoppings, casas, entre outros empreendimentos.

O principal objetivo é possibilitar que os membros da sociedade interessados nessa proposta tenham a oportunidade de compartilhar dos benefícios dessa energia, mesmo que eles não tenham acessibilidade ao telhado ou prefiram não instalar painéis solares em sua propriedade.

Os participantes do projeto beneficiam-se da eletricidade gerada pelo condomínio que custa bem menos do que o preço que seria normalmente pago pela energia nas distribuidoras.

A configuração jurídica de um condomínio pode ser formatada via cooperativa ou consórcio. São categorias jurídicas referente à formação de entidades legais, não categorias de geração de energia.

A Resolução Normativa 687/15 da ANEEL define claramente o autoconsumo remoto e geração compartilhada como formas que possibilitam o modelo de condomínio solar.

Como funciona uma comunidade solar?

O desenvolvedor constrói um sistema solar que irá gerar eletricidade suficiente para atender às necessidades de energia da comunidade e os membros assinam um contrato para comprar energia da

Por meio da medição da rede virtual, o uso de energia do cliente é rastreado por seu medidor. Seus créditos solares comunitários compensam sua conta. Se eles ultrapassarem o limite de uso, pagam a diferença à empresa concessionária.

Mas você pode estar se perguntando: “Se eu compro energia de uma comunidade solar, por que a empresa de serviços públicos precisa estar envolvida?".

A resposta é que os sistemas solares comunitários ainda usam a rede elétrica para enviar a energia a distribuidora, gerando um crédito para ser abatido em outras localidades. E eles fornecem essa energia aos clientes por meio de linhas de energia existentes, de propriedade da concessionária.

Os programas solares se beneficiam desse contrato, mantendo os custos de distribuição de energia no mínimo, enquanto as concessionárias desfrutam de estabilidade extra da rede e capacidade de geração como resultado do sistema fotovoltaico que alimenta a rede.

É realmente uma situação na qual todos os lados ganham - incluindo o usuário final, que paga menos pela conta de energia no final do dia.

Benefícios da comunidade solar

Baixo custo inicial Para aqueles que não estão em posição de investir sozinho em um fotovoltaico, a comunidade solar oferece uma maneira de usar a energia solar sem nenhum custo inicial.

O proprietário da comunidade solar constrói o sistema às suas próprias custas. O cliente simplesmente se adquire uma cota da geração e começa a pagar uma fatura mensal.

Sob esse acordo, eles podem colher imediatamente as recompensas de contas de energia mais baixas e um impacto ambiental positivo, sem ter que desembolsar o valor de um sistema sozinho.

Sem manutenção Com um condomínio solar, você não precisa se preocupar em limpar painéis ou substituir partes do sistema. Essa responsabilidade recai sobre o proprietário do condomínio

Você pode relaxar e aproveitar os benefícios da energia solar sem se preocupar com manutenção.

Comunidade solar: o veredicto

Então, a comunidade solar é uma boa ideia?

Geralmente, adoramos a ideia, porque ela torna a energia solar mais acessível a todos. No Brasil, apenas 4% das propriedades usufruem das suas vantagens.

A energia solar comunitária dá aos outros 96% acesso aos benefícios financeiros e ambientais da energia solar, o que é sempre positivo.

No entanto, também reconhecemos que a energia solar pode ser um investimento bastante lucrativo, poupando ao proprietário (dezenas de) milhares de reais em contas de energia durante a vida útil do sistema.

Por fim, não importa se você mora em um apartamento, condomínio ou casa. Você terá previsibilidade na sua conta de luz e estará protegido dos aumentos inesperados na tarifa elétrica.

Além disso, você não precisará de um telhado para instalar um sistema fotovoltaico.